1. ALMEIDA, Lélia. “A solidão das mães-meninas-sem-mãe. Uma leitura de As Mulheres de Tijucopapo de Marilene Felinto“. Espéculo. Revista de estudios literarios. Universidad Complutense de Madrid. 2006.
  2. ALMEIDA, Sandra Regina Goulart. Narrativas cosmopolitanas: a escritora contemporânea na aldeia global.
  3. ARAÚJO, Adriana de Fátima Barbosa. Migrantes nordestinos na literatura brasileira. Tese de doutorado em Teoria Literária – Departamento de Ciência da Literatura, Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2006.
  4. BARBOSA, Maria José Somerlate. “Deslocamentos culturais, linguísticos e sociais em textos de Graciliano Ramos, Clarice Lispector e Marilene Felinto”. Comunicação, Sixth International Conference of the American Portuguese Studies Association, 2008, Yale University.
  5. BARBOSA, Maria José Somerlate. “A narrativa de Conceição Evaristo e Marilene Felinto”. VII Congresso Internacional, Pontifícia U. Católica do Rio de Janeiro, 2004.
  6. BASTOS, Dau. A criticidade em Marilene Felinto. In: João Cezar de Castro Rocha. (Org.). Interseções: a materialidade da comunicação. Rio de Janeiro: EdUERJ, 1998.
  7. BASTOS, Dau. “A ficção feroz de Marilene Felinto – Ensaio sobre As Mulheres de Tijucopapo“. In Eutomia. Revista de Literatura e linguística da UFPE, v.1, nº 12, 2013.
  8. BASTOS, Dau. A prosa em riste: Marilene Felinto e Céline. Dissertação de mestrado, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1994.
  9. BAUGHER, Joyce. Language and the path unknown: An analysis of the work of Marilene Felinto. MA Thesis, New Orleans: Tulane University, 2001.
  10. BRAIT, Beth. “Os escritores respondem – Marilene Felinto”. In A personagem, ed. Ática, São Paulo, 1985, pp.83-84.
  11. BAILEY, Cristina Ferreira-Pinto. Female Agency, Eroticism, and Pornography: Reading Marilene Felinto’s As mulheres de Tijucopapo Twenty Years Later. AATSP Anual Meeting, Rio de Janeiro, July-August, 2002.
  12. BAILEY, Cristina Ferreira-Pinto. Gender, discourse, and desire in twentieth-century Brazilian women’s literature. West Lafayette: Purdue University Press, 2004.
  13. CANÇADO, José Maria. “As Mulheres de Tijucopapo”, resenha de orelha à 2ª edição do romance As Mulheres de Tijucopapo, editora 34, São Paulo, 1992.
  14. CHAUÍ, Marilena. ” As Mulheres de Tijucopapo”, prefácio à 1ª edição do romance As Mulheres de Tijucopapo, ed. Paz e Terra, Rio de Janeiro, 1982.
  15. CRUZ, Giselle Thiel Della. “Dissolvendo o universo masculino em impressões femininas: a narrativa de ficção de Marilene Felinto”. XXV Simpósio Nacional de História, Fortaleza, 2009.
  16. DALCASTAGNÈ, Regina. “Entre silêncios e estereótipos: relações raciais na literatura brasileira contemporânea“. Revista Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Brasília, 2008.
  17. DALCASTAGNÈ, Regina. “Quando o preconceito se faz silêncio: relações raciais na literatura brasileira contemporânea”. In revista Gragoatá, programa de pós-graduação do curso de letras da Universidade Federal Fluminense, 1991; pp. 203-220.
  18. DIÓGENES, Eliane. “As Mulheres de Tijucopapo”. Nota à terceira edição de As Mulheres de Tijucopapo, ed. Record, São Paulo, 2004.
  19. GRIGOLETO, Grace G.; CAMARGO, Diva C. de. “Análise de cinco vocábulos recorrentes e preferenciais na obra As Mulheres de Tijucopapo, de Marilene Felinto”. In: Revista de estudos linguísticos , Belo Horizonte , v.19, n. 2, 2011; pp. 141-165.
  20. GRIGOLETO, Grace G.; CAMARGO, Diva C. de. “Tendências de normalização na tradução para o inglês de As mulheres de Tijucopapo”. Revista do grupo de estudos linguísticos do estado de São Paulo (GEL), São Paulo, 2011, v. 8, n. 1, pp. 31-48.
  21. GONÇALVES, Lourdes Bernardes. “A linguagem como instrumento de construção da identidade em As mulheres de Tijucopapo“. Revista de Letras, v. 1/2, n. 23, jan-dez, Fortaleza, 2001.
  22. HARRISON, Marguerite I. “Through the eyes of Brazil’s African daughters – vision and memory in the artwork of Rosana Paulino and in the short fiction of Marilene Felinto“. In Lusotopie, Vol. 12, Issue 1, 2005.
  23. JORDÃO, Paula. “From diaspora to nomadic identity in the work of Lispector and Felinto”. Comparative Literature and Culture, University of Utrecht, Netherlands, 2009.
  24. JOB, Sandra Maria. Em texto e no contexto social: mulher e literatura afro-brasileiras. Tese de doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina, 2011.
  25. MACHADO, Serafina Ferreira. “A raiva em As Mulheres de Tijucopapo: em busca de identidade“. Revista Iluminart do IFSP, vol. 1, nº 3, Sertãozinho, SP, 2009.
  26. MAIA, Myrna Agra Maracajá. Obscenidade do abandono: a devastação feminina em Marilene Felinto. Dissertação de mestrado em literatura e interculturalidade, Universidade Estadual da Paraíba, 2010.
  27. NASCIF, Rose Mary Abrão. Transculturação e poder em Zoé Valdés e Marilene Felinto: O pluralismo na construção identitária latinoamericana. Tese de doutorado, Universidade Federal Fluminense, 2008.
  28. NUNES, Zita. Cannibal Democracy: Race and Representation in the Literature of the Americas. University of Minnesota Press, 2008.
  29. OSAKABE, Haquira. “Mulheres de Tijucopapo”. Folhetim nº. 301, p. 3, Folha de S. Paulo, 1982.
  30. PENNA, João Camillo. “Marilene Felinto e a diferença“, Revista de crítica literária latinoamericana, ano XXI, nº 41, Lima (Peru)-Berkeley (EUA), 1995; PP. 213-235.
  31. PENNA, João Camillo. “Postcard”, resenha de orelha à coletânea de contos Postcard, ed. Iluminuras, São Paulo, 1991.
  32. PIERRE-LOUIS, Barbara Gina. Re-configuring paternal legacies through ritualistic art: daughters and fathers in contemporary fiction by women of African descent. Dissertação em filosofia. Faculty of the Graduate School of the University Minnesota, USA, 2012.
  33. REBELO, Marina Farias. Sobre ruídos, resistência e identidade: autorrepresentação feminina negra em Marilene Felinto e Nega Gizza. Dissertação de mestrado, Instituto de Letras da Universidade de Brasília, 2010.
  34. SANTOS, Carmen Sevilla Gonçalves dos. As Mulheres de Tijucopapo A Hora da Estrela: os entre-lugares onde Rísia e Macabéa (não) se encontram”. Revista Investigações – Teoria da Literatura, v. 18, n.1, p. 151-171. Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.
  35. SANTANA, Braulino P. de. “Lei das emendas vaginais revisitado: uma leitura à luz das formações discursivas”, 2009.
  36. SCHMIDT, Simone Pereira. “De volta para casa ou o caminho sem volta em duas narrativas do Brasil”. Revista estudos de literatura brasileira contemporânea, nº 32, Universidade de Brasília, 2008; pp. 21-30.
  37. SCHNEIDER, Liane. “Muslim: Woman, de Marilene Felinto, e os conceitos de gênero e raça no mundo globalizado“. In Revista Graphos, vol.14, nº 2, UFPB/PPGL, 2012.
  38. SILVA, Alexsandra M. F. Gênero, classe e etnia em As Mulheres de Tijucopapo. Dissertação de mestrado em literatura. Universidade de Brasília, Brasília, 2007.
  39. SILVA, Alexsandra M. F. (Re) construção étnica n’As Mulheres de Tijucopapo. Livro eletrônico, Florianopólis, pp 135-146.
  40. SILVA, Alexsandra M. F. “Rísia: Resistência à subalternidade”. Comunicação no XII Seminário Nacional e III Seminário Internacional Mulher e Literatura do GT Mulher e Literatura, Associação nacional de pós-graduação em letras e linguística (ANPOLL), Universidade Federal de Santa Cruz, Bahia, 2007.
  41. SILVA, Alexsandra M. F. “Tessituras de marcas de identidade: uma leitura de As Mulheres de Tijucopapo“.
  42. SILVA, Maria Emilia M. “Amor, ódio e exclusão em As Mulheres de Tijucopapo”. In Faces Femininas da Literatura.
  43. SILVA, Maria Emilia M. “Expêriencias de um lirismo agreste: o relato de identidades femininas, em As mulheres de Tijucopapo, de Marilene Felinto.” Dissertação de mestrado  em literatura e crítica literária. Pontifícia Unversidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.
  44. SOUZA, Maria Salete Daros. Corpos em trânsito, subjetividades nômades e (des)encantos femininos em Marilene Felinto. Seminário Internacional Fazendo Gênero 10 (Anais Eletrônicos), Florianópolis, 2013.ISSN 2179-510X
  45. VARA, Teresa Pires. “As Mulheres de Tijucopapo – a conspiração do silêncio e da palavra”. In Porta-retrato, ed. Livraria Duas Cidades, São Paulo, 2001.
  46. VIANNA, Lúcia Helena O. Um sopro Todo Seu – de Clarice e Suas Irmãs Contemporâneas. Revista Gragoatá, Niterói, Rio de Janeiro, v.3, 1998.
  47. VIEIRA, Solange K. A. “As Mulheres de Tijucopapo: a escrita da dor”. Revista de letrasUniversidade Federal do Ceará, nº. 23, Fortaleza, 2001.
  48. VIEIRA, Solange K. A. Entre o céu e a terra: questões de identidade cultural em As mulheres de Tijucopapo. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Ceará. Fortaleza, 2001.
  49. WANDERLEY, Márcia Cavendish. “Controvérsias sobre mestiçagem no Brasil em Marilene Felinto.”  In Terceira margem – literatura e feminismos: extensões teórico-críticas. Ano XIII, nº 20, pós-graduação UFRJ, 2009.
  50. WISNIK, José Miguel. ” As Mulheres de Tijucopapo”, resenha de orelha à 1ª edição do romance As Mulheres de Tijucopapo, ed. Paz e Terra, Rio de Janeiro, 1982.
Traduções

Principais traduções da autora:

    1. Cartas na Rua – de Charles Bukowski (1983 – Ed. Brasiliense)
    2. O Cúmplice Secreto – de Joseph Conrad (1985 – Ed. Max Limonad)
    3. Eureka – de Edgar Allan Poe (1986 – Ed. Max Limonad)
    4. Sonhos de Bunker Hill – de John Fante (1987 – Brasiliense)
    5. O Garoto que Seguiu Ripley – de Patricia Highsmith (1988 – Brasiliense)
    6. O Menino Perdido e Outros Contos – de Thomas Wolfe (1989 – Ed. Iluminuras)
    7. O Trem e a Cidade – de Thomas Wolfe (1990 – Ed. Iluminuras)
    8. Quatro peças de Sam Shepard – de Sam Shepard (1994, Ed. Paz e Terra)